- Home
-
Calendário
-
Fale Conosco

Quem Somos Nosso Ritual Pontos Cantados Textos e Mensagens Galeria FAQ Como Chegar

  Xangô

Saudação: Kawô kabeci ilê! 
Macaia: Pedreira 
Representado pela cor:
Marrom 
Bebida ritualística: Cerveja preta
Mês de Comemoração: Junho 
Dia de maior vibração: Quarta-feira

Orixá da justiça, da sabedoria e do conhecimento. Equilíbrio de forças, imparcialidade. 
Sincretizado no Rio de Janeiro com quatro santos católicos: São Jerônimo, São João Batista,
São Pedro e São José.

Pontos Cantados
KAWÔ KABECI ILÊ!


Olélé Kaô
Olélé Kaô
Olélé que banda olé
Olélé Kaô.


Xangô Kaô
Deixa essa pedreira ai
Umbanda está lhe chamando
Deixa essa pedreira ai.


Que mata é essa que o leão não entra
Que pau é esse que o machado não cortou
Que pedra é essa que o corisco não riscou
É a pedreira do meu pai Xangô.


De longe eu vi uma estrela
E de bem perto ela brilhou
João Batista na floresta
Seu filho abençoou.


Xangô vem lá de Aruanda
Xangô meu pai
Me ensina a vencer demanda.


Pega no seu livro e vai ler
Pega na pena vai escrever
Xangô, ô, ô, Kaô, ô, ô
Saravá Umbanda 
Seu Alafim, seu Agodô.


Machadinha que corta mironga
É machadinha de Xangô
Auê , auê , babá
É machadinha de Xangô.


No alto daquela pedreira
Tem um livro que é de Xangô
Xangô Kaô
Kaô Kabeci ilê.


Aruanda se iluminou
E as pedreiras estremeceram
Anunciando a chegada do seu pai
Que com sua machadinha de ouro
Lutou e venceu
Ele é Xangô Kaô, ele é Xangô Kaô
Coroado o Rei da Justiça
Iluminado por Nosso Senhor
Xangô Kaô.


Gino não foi à guerra
Gino não guerreou
Gino escreveu pra seus filhos
Justiça e paz é a Lei do Senhor
O leão rugiu, a pedreira estremeceu
Com sua machadinha de ouro
Cortando maldade, lutou e venceu.


Quem rola pedra na pedreira é Xangô
Quem rola pedra na pedreira é Kaô
Firmou na coroa de Zambi
Firmou no reino da pedreira
Firmou que o Rei de Aruanda é Xangô.


Com sua machadinha de ouro
Meu pai Xangô já vem chegando de Aruanda
Ele é seu pai Xangô Agodô
Trazendo força e proteção
Para seus filhos da Umbanda.


Sentado na pedreira de Xangô
Cumpri meu juramento até o fim
Se um dia eu quebrar
A fé no meu Senhor
Que role esta pedreira sobre mim.


Meu pai Xangô está no Reino
Meu pai Xangô é Orixá
Olha seus filhos que pedem, meu pai
Justiça e paz nesse Gongá. 


Xangô me disse
Que dançar Nagô é bom
Oi que dançar Nagô é bom.


Ele é Xangô das almas
Ele é feito nas almas
Ô almas, ô minhas almas
Meu pai Xangô, venha me valer.


Por detrás daquela serra
Tem uma linda cachoeira
É do meu pai Xangô
Que governou sete pedreiras
Foi água nascendo na fonte
Espinho na flor
No seu medo escondido
Nasceu a coragem de ser vencedor
Punhal na mão 
No peito o escudo mais fiel
De quem na terra concebeu o céu
São sete pedreiras que ele aprendeu a quebrar
Na faísca, na fúria do raio, na chuva
Na luz do luar
Lavou o corpo com o vinho amargo do suor
E fez do próprio bem
De todos os males
Talvez o menor.


Kaô Kabeci ilê
É de mussussum, é como ele vem
É de mussussum, é como ele vem
Kaô Kabeci ilê, é como ele vem.


Xangô mora na pedra lisa
Xangô Agodô trabalhou sem camisa.


Xangô oiá
Olha vamos saravá nosso povo Mariá
Terra de branco aonde preto não se dá
Olha vamos saravá nosso povo Mariá.


Gino herói da minha infância
Gino guerreiro de Umbanda
Aonde o rouxinol cantava
Aonde Xangô morava
Olha Gino da cobra coral
Kaô
Gino olha a sua banda
Gino olha o seu Gongá
Aonde o rouxinol cantava
Aonde Xangô morava
Olha Gino da cobra coral, Kaô.


Mas que linda pedreira
Que Xangô estava sentado
Com duas pedras na mão
E um lindo lírio ao lado
Salve Xangô Kaô
Salve Iansã da Cachoeira
Salve Xangô Kaô, que é o rei da pedreira.


Pedra rolou e Xangô foi apanhar
E Xangô foi apanhar no Reino do Jacutá.
Xangô Kaô teu reino é na pedreira
Fonte maior verdadeira do teu imenso poder
Lança a tua machada justiceira
Sob teus filhos e semeia o teu saber.


Xangô, ô, ô, ô, Xangô Kaô
Abre o teu livro e me ensina
Toda humildade Senhor
Xangô, ô, ô, ô, Xangô Kaô
Fizeste de tua pedra
Mesa de trabalhador
Xangô Kaô te peço agora
Ilumina este Babalaô.


Um dia pai Oxalá designou
Um Orixá de Umbanda
Lá das bandas do Oriente
Consagrou Xangô Kaô
Firmando o seu ponto na pedreira
Nos seus caminhos nasce água e nasce flor
Sua missão é proteger os vossos filhos
Transmitir paz e amor
Saravá Xangô Kaô
Kaô Xangô.


Um grito ecoou
Kaô Kabeci ilê
É a pedreira que rolou
Rolou na força do seu pai Xangô
Ele firma nas águas
Risca ponto no mar
Xangô Agojô que vem de Aruanda
Vem pra trabalhar
Kaô Kabeci ilê.


Fiz um pedido a Oxalá
Que me desse forças pra lutar
Aqui na terra
Há tanto sofrimento e dor
Oxalá me atendeu e me enviou
Meu pai Xangô.


O rei de Aruanda é Xangô
Ele mora lá na pedreira
Ele firma sua guia
Nas águas da cachoeira.


No alto daquela serra
Encontrei o meu pai Xangô
Que me ensinou a vencer
Tanto sofrimento e dor
Lutando com suas armas
Que são a justiça e o amor.


Ponto de Subida de Xangô

KAWÔ KABECI ILÊ!

Xangô já berimbou na aldeia
Xangô já berimbou na aldeia
Já berimbou, já berimbou na aldeia
Xangô já berimbou na aldeia
(Xangô Kaô, Seu Alafim, Seu Agodô, Seu Agojô).


(voltar ao topo da página)


Rua Albert Sabin, 31 lote B - Panorama - Teresópolis - RJ | CEP: 25963-000 

  2010 - Todos os direitos reservados | Produção: É Isso Aí Webdesign & Sistemas